London London (up date 4: Hampstead)

Outro dia desses, umas duas semanas antes de vir pra Londres testar o guia, fui ao programa do Justus na Record. O tema, “polivalentes”, contava com dois convidados: eu e… Marília Gabriela. Como o lançamento tava recente, falei bastante do livro, contei como a ideia surgiu e pa-ra-ra-pão-duro. No final da gravação, Gabi fez um pedido já em off: “vai até Hampstead por mim, morei lá quando fui correspondente, adoro aquele lugar”.

FullSizeRender

Missão dada é missão cumprida, diria o capitão. Me enfiei na Nothern line, (a preta, mesma de Camden) respirei fundo porque a viagem era longa e fui salvo por uma caprichada playlist. Lá chegando, saí do metrô e dei de cara com uma bela e serpenteada ladeira, a Heath Street. Perguntei na banquinha pra qual lado ficava Hampstead Heath e o rapaz apontou pra subidona, respirei fundo – parte 2 e torci pra não doer. Mas doeu: foram uns 10 minutos escalando a ladeira e outros 10 numa reta sem fim. Segui as placas que indicavam o parque mas não achava uma entrada principal, só trilhas alternativas: para cilclistas, cachorros e cavalos. Me embrenhei pela mata não tão virgem e descobri que cabe muita coisa em 320 hectares: campos de futebol, rugbi, quadras de tênis, piscinas e por aí vai. A área comporta, ao todo, 16 modalidades.

FullSizeRender-1

Resolvi voltar pra avenida, a Spaniards Road, e procurar a Kenwood House. No caminho, uma surpresa bacana: The Spaniards Inn, um dos pubs mais antigos da cidade. Fundado em 1585, é tão respeitado que a rua não virou mão-dupla no pedaço: quando um carro passa, o outro abaixa a orelha e libera a passagem, é um de cada vez e fim de papo. Um pouco à frente, à direita, fica a entrada de uma das muitas locações de Notting Hill na cidade. Lembra de quando Hugh Grant (Will) vai visitar Julia Roberts (Anna) numa filmagem e, via headphone, pega ela falando mal dele pra um colega de cena? Sheee, danou-se.

FullSizeRender-3

A construção é dos idos de 1600 e foi mudando de dono até que, em 1925, foi doada à nação por Lord Iveagh, membro da família Guiness (sim, a da cerveja). O empresário também era colecionador de obras de arte, e parte do acervo pode ser visto dentro da casa, incluindo Rembrandt. A parte mais legal da história: Lord Guiness comprou Kenwood House a pedido da comunidade local, pra evitar que a construção fosse vítima da especulação imobiliária. Fez apenas uma exigência antes de doar o patrimônio ao país: que a a casa fosse aberta ao público e que a entrada fosse sempre gratuita. E desde 1928 é assim. Cheers!

Anúncios

Sobre RR TV

Apresentador de TV, idealizador e guitarrista dos Soundtrackers, e autor dos livros: As aventuras da Blitz, Almanaque da Música Pop no cinema, London London - O único guia para conhecer Londres usando o metrô e Paris Paris, que segue o mesmo conceito.
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para London London (up date 4: Hampstead)

  1. Luiz Godoy disse:

    To chegando a conclusão que você deveria juntar todas essas histórias todas e lançar um outro livro. Seria legal viu RR. Aí eu poderia ter uma participação pela idéia, o que você acha? Ahhha!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s